quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Lugar da musa

Ainda não elegi o novo lugar da musa, muito embora não me tenha esquecido deste assunto montes de interessante. Hoje pousei num lugar onde há café Nicola e calhou-me o seguinte pacote de açúcar:





Entretanto, estendendo então brilhantemente o brilhante assunto, é d' oiro!, deixo escrito que aqui há dias estava quasequasequase elegendo o dito lugar, só por dizer que entretanto fechou para férias. Dizia na porta lá deles que para continuarem com a qualidade de sempre era preciso descansarem e que voltariam cheios de vigor, bem como de vontade de assim continuarem, bons pra caraças no que toca a iguarias. Algo assim, vá, que eu também gosto de exagerar as coisinhazinhas por modo a ficarem exageradamente grandes.
Então, vai daí, ando perdida com isto da eleição do novo lugar da musa. Ontem visitei um em que o café é assim-assim, de preço assim-assim e de atendimento assim-assim. Geralmente, para beber café, não escolho pelo atendimento, logo que não me tratem mal, está bem, mas é óbvio que gosto de me sentir bem, acarinhada, não vou ao exagero (aqui não exagero, ah ah) de achar que tenho de me sentir em casa, antes como sendo uma extensão da minha casa, ou por outra: encontrar-me como sou na minha casa perante as visitas, habituais ou então não.

Sem comentários: